8 de ago de 2010

A fase dos porquês

Quando somos crianças, nossos parentes facilmente conseguem apontar a nossa fase dos "poquês?". É só escutarmos alguma afirmativa ou alguma explicação que o interrogatório começava logo." Mas por quê? E por quê?"... Acontece que a vida passa e essa fase parece ultrapassada quando, na verdade, não o é.

Quem aqui não se pegou perguntando o motivo de não ter ganho uma nota boa na escola ou então, a razão daquele carinha que você estava afim não te dar bola, ou o porquê de sua nota do vestibular não ter sido suficiente, ou porquê de o seu chefe -aquele mala- nunca estar satisfeito por mais que você tenha plena certeza de dar até mais que cem por cento no trabalho?

O fato é que a única coisa que muda nessa fase dos porquês é o tipo de pergunta. Essas indagações sempre nos acompanharão e fazem até parte do nosso processo de auto-conhecimento e percepção - e compreensão - de mundo. O grande problema é quando a fase acaba dominando você e as perguntas falam mais que suas próprias atitudes.

Aí cabe a você parar um minutinho e pensar se vale mesmo a pena se indagar tanto e deixar de viver para procurar respostas. Pois uma coisa é procurar entender como algumas coisas funcionam pra você e outra completamente diferente é bancar o Sherlock com sua própria vida. Nem todas as perguntas foram feitas para serem respondidas (e tem outras que é bem melhor não saber a resposta) e, não cabe a você, meu caro, mudar isso.

Afinal, quando você estiver velhinho; vai parar, sentar um pouquinho, refletir, olhar pra sua trajetória nessa vida e somente uma pergunta deve ser respondida: Valeu a pena?

13 comentários:

  1. Digo que essa fase nunca deve acabar, mas dosada na medida certa. Querer saber algumas respostas faz com que sempre busquemos o novo, ou compreender o passado. Bancar o SHerlock nao he problema, mas deixar que, mesmo no seu tempo que prazer, vc ainda esteja pensando no mistehrio.
    Abrcs,
    Trujillo
    http://rumosritmosrelatos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Os "porques" são fundamentais. Todos nós fazemos perguntas, questionamentos...

    elas são essenciais.

    Eu uso uma frase pra minha vida, de minha autoria mesmo

    "As perguntas são mais importantes do que as respostas. Sem as perguntas não haveriam respostas. A partir das perguntas que pensamos e evoluímos. Certos mistérios são necessários. Se o ser humano soubesse tudo pararia de estudar e de tentar evoluir."

    Acessa? http://www.leontextos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Um texo interessantissimo, onde se debateu uma das interrogações mais antigas do mundo, dúvidas da infância...

    ResponderExcluir
  4. Questionar é humano. òtimo post

    ResponderExcluir
  5. Belo Blog, achei interessante esse questionamento...
    Mas anos passarão e os porquês não vão sumir, muito menos cessar.
    Curiosidade não tem fim...rs
    Voltarei sempre que puder, você escreve bem =)
    beijos!

    http://natmeninamulher.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  6. É infinita. Entretanto saber usar a curiosidade para nos favorecer é necessário. Ou a controlamos, ou ela nos controla.

    ResponderExcluir
  7. O ser humano é questionador por natureza. E essa fase nunca deveria acabar, pois só quando questionamos as coisas podemos entender ou alterar aquilo que está acontecendo. Parabéns pelo texto! Abraço

    ResponderExcluir
  8. Porquês não tem fase pra mim. Usei, uso e usarei muito ainda. :P

    ResponderExcluir
  9. E foi basicamente o que eu disse no texto...

    ResponderExcluir
  10. Viver é buscar respostas o tempo todo. O quê? Quando? Onde? Como? Por quê? Valeu a pena? Abraços e sucesso com o blog!

    ResponderExcluir
  11. diferente de quando crianças fazemos essas perguntas pra nós mesmos né? haha eu vejo assim pelo menos :D
    quando tudo dá errado 'caaaaara, porquêê??' >.<
    hihi, gostei do jeito que você escreve, sucesso aí :)

    http://medrops.com | @medrops

    ResponderExcluir