11 de dez de 2010

Clara

(créditos da foto desconhecidos, imagem alterada por mim)

Clara era a menina escura
Que talvez por tal ironia burra
Este nome a mãe à Clara dera

Clara era uma menina pura
E por um ébrio pai abusada
Chorava, alma pura mantivera

Clara era uma menina cega
pois via em vender a sua bala
Confiança que sua mãe lhe dera

Clara é menina agora fria
E em seu peito, chama apagara
Por um disparo em sua favela

Finalmente, descansar Clara fora
Escura, pura, cega, fria. Livre?